Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Mobility as a Service (MaaS): estudos de caso e perspectivas para São Paulo (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MACHADO, BEATRIZ SENCIALES SOBREIRA - EP ; GONÇALVES, MURILO THIAGO LEVI VALLOTA - EP ; ROBLES, VICTORIA MARQUES - EP
  • USP Schools: EP; EP; EP
  • Sigla do Departamento: PTR
  • Subjects: MOBILIDADE URBANA; TRANSPORTE URBANO
  • Language: Português
  • Abstract: Nesse trabalho de formatura, foi realizada a conceituação teórica da Mobilidade como Serviço (MaaS), o estudo do contexto existente para seu desenvolvimento em cidades da Europa e Ásia já avançadas no tema e a avaliação das condições existentes para que o mesmo processo ocorra na cidade de São Paulo. O tema da MaaS foi estudado por conta do grande gargalo que a mobilidade representa para o desenvolvimento das cidades, afetando consideravelmente a qualidade de vida de seus moradores. As plataformas MaaS têm como premissa a integração de diferentes modos de transporte, promovendo uma maior eficiência dos deslocamentos dentro das cidades e, assim, são de grande utilidade para a melhoria da mobilidade urbana. A conceituação teórica foi realizada por meio de revisão bibliográfica e pesquisas a sítios relevantes. Além disso, utilizou-se o método de estudos de caso para a análise das cidades de referência e de São Paulo. Esses estudos foram norteados por indicadores do Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS) que possuem relação com a Mobilidade como Serviço. Para o caso de São Paulo especificamente, foi utilizado também o contato, por meio de entrevistas, com atores da esfera pública e privada no tema da mobilidade. Como resultado, foi possível levantar iniciativas e políticas relevantes ao tema, que estão em prática ou sendo desenvolvidas na cidade de São Paulo, comparando-as com as presentes nas cidades de referência estudadas: Helsinque, Gotemburgo e Singapura. A partir das comparações, foi possível determinar o quanto São Paulo está preparada para possuir uma plataforma da Mobilidade como Serviço. Ao final, uma plataforma MaaS foi simulada por meio do traçado de diversas opções de rotas, com mistura entre modais públicos e privados, para deslocamentos realizados diariamente por grande parteda população de São Paulo, segundo a Pesquisa Origem e Destino 2007 do Metrô de São Paulo. Com a utilização da plataforma MaaS simulada, chegou-se a uma previsão de redução de aproximadamente 40% do tempo médio de viagem dos paulistanos.
  • Imprenta:

  • Download do texto completo

    Tipo Nome do arquivo Tipo de acesso Link
    BEATRIZ SENCIALES SOBREIRA MACHADO 18.pdfOpen Access logo PLoS whiteDirect link
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MACHADO, Beatriz Senciales Sobreira; GONÇALVES, Murilo Thiago Levi Vallota; ROBLES, Victória Marques; MARTE, Cláudio Luiz. Mobility as a Service (MaaS): estudos de caso e perspectivas para São Paulo. [S.l: s.n.], 2018.
    • APA

      Machado, B. S. S., Gonçalves, M. T. L. V., Robles, V. M., & Marte, C. L. (2018). Mobility as a Service (MaaS): estudos de caso e perspectivas para São Paulo. São Paulo: EPUSP.
    • NLM

      Machado BSS, Gonçalves MTLV, Robles VM, Marte CL. Mobility as a Service (MaaS): estudos de caso e perspectivas para São Paulo. 2018 ;
    • Vancouver

      Machado BSS, Gonçalves MTLV, Robles VM, Marte CL. Mobility as a Service (MaaS): estudos de caso e perspectivas para São Paulo. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: